July 15th, 2009

Como Pedir Aumento

lonely-path-dollarPor Milene Laube*

Uma questão interessante que começou a ser comentada no LinkedIn (site de networking de profissionais) é  como pedir promoção ou aumento para o chefe.

O grupo de profissionais em questão está inserido em um contexto CORPORATIVO e a grande maioria tem um perfil executivo. Portanto, não estamos falando do funcionário de chão de fábrica, chão de loja, nem de empregados domésticos.

Do ponto de vista da empresa (dos chefes), o funcionário é remunerado para prestar um serviço que contribua para o bom funcionamento da empresa, além de trazer soluções visando determinado resultado. Do ponto de vista do funcionário, a empresa lhe paga um salário (fixo, variável ou a combinação de ambos) para ele desempenhar determinada função. Notamos que aqui já começam as diferenças de interesse. A motivação da empresa em manter o funcionário está diretamente relacionada ao comprometimento do funcionário com o bom desempenho de sua função (às vezes interpretada como lealdade) e resultados obtidos pelas soluções implementadas por este funcionário. A motivação do funcionário em desempenhar bem suas funções, por outro lado, está diretamente relacionada ao receio em perder seu emprego (e ficar sem fonte de renda) ou, para os mais envolvidos e comprometidos, na expectativa de crescimento profissional (cargo e remuneração). Novamente temos interesses distintos.

Pedir aumento ou promoção envolve NEGOCIAÇÃO. Vendo o panorama de interesses/motivações acima apresentado (que é o padrão), o poder da negociação está nas mãos da empresa e o funcionário que alegar “desempenhar com excelência suas funções” está fadado ao fracasso quando for pedir aumento ou promoção.

A regra numero 1 para um bom desempenho no processo de negociação é CONHECER os interesses da outra parte e a regra número 2 é ter um BATNA (best alternative for a negotiated agreement, ou, em português, uma alternativa melhor, caso a negociação vá pelo ralo e não haja acordo).

Alguns conselhos de quem já esteve dos dois lados na mesa de negociação por cargo e salário:

1: Conheça BEM os interesses de seus superiores e aja de acordo. O SEU próprio plano de carreira pode não estar na lista de interesses de seu interlocutor;

2: Nem pense em mencionar que seu salário atual não paga suas contas (mesmo que seu chefe seja seu amigo pessoal). A empresa não tem autoridade sobre a forma como você gasta seu dinheiro, certo? ( e se seu chefe lhe propuser um empréstimo: FUJA!);

3: Informe-se sobre a existência de um cargo para seu next step…às vezes não tem. Caso encontre um dead-end você tem duas alternativas: buscar outro emprego no mercado ou tentar uma “promoção horizontal” para outro departamento com mais chances de ascensão (mas para isso, você deve ter talento para este outro cargo e a capacidade de contribuir na nova posição);

4: Aguarde um momento propício, como a entrevista de avaliação de resultados, o fechamento de um projeto ou período que possa ser mensurado e apresente, de forma objetiva, racional e com FATOS, como sua existência na empresa é preciosa por contribuir para resultados ACIMA do esperado (pois uma atuação dentro do esperado já está sendo premiada com sua remuneração e cargo atuais, do ponto-de-vista de seu superior);

5: Lembre-se que promoções e aumentos salariais devem estar PREVISTOS no Budget, ou seja, se você pedir aumento depois do fechamento do orçamento do ano é bem provável que tenha que esperar um bom tempo para seu pedido ser atendido (se você for realmente valioso para a empresa, seu chefe pode até tentar lhe segurar com um paliativo, uma promoção com aumento em etapas, por exemplo);

6: Às vezes, um pedido de promoção e aumento salarial é atendido, não com remuneração, mas sim com uma proposta de treinamento, um curso de pós ou MBA. Esteja preparado para aceitar! Dizer que você não quer curso, mas sim uma alavancagem em seu poder aquisitivo (o que faz todo o sentido para quem pede aumento) vai pegar mal…

7: Não compare seu desempenho ao de colegas/pares e sim versus objetivos e metas estabelecidos para VOCÊ. Para isso, procure sempre documentar objetivos e metas logo no início do ano, ou de um projeto e mantenha seu superior informado sobre o respectivo andamento;

8: Deixe as emoções no travesseiro, em casa. Uma negociação de cargo e salário não é o momento para expressar suas mágoas sobre o chefe, o colega traiçoeiro, as injustiças na empresa, etc…

9: Se a empresa não vem apresentando o crescimento esperado, as chances de você conseguir o que quer são pequenas (do ponto-de-vista do seu chefe, mesmo sendo lucrativa, a empresa só vai bem se estiver atingindo resultados esperados);

10: Por fim, nunca ameace que pretende buscar outro emprego, caso não receba a remuneração ou o cargo esperado (mesmo que de forma sutil). Quando tiver uma proposta concreta e MELHOR do mercado (e se realmente não quiser deixar a empresa atual), comunique seu superior e aguarde resposta.

—–

Milene é uma profissional de marketing e consultora com grande experiência em empresas multinacionais.

www.milene.org

Colunistas