June 9th, 2009

Venda Desesperada

Tim

Tim

A mentalidade da venda desesperada já causou tanto estrago no marketing brasileiro que é difícil saber até por onde começar. Pode se definir este tipo de venda como aquela onde o processo de convencimento é bruto, intrusivo e chato. Está mais para estupro que para sedução, mais para spam que para carta de amor.

Quando parecia que o troféu ficaria para sempre com aquele dirigível (acho que era do falecido Unibanco) fazendo barulho sobre o Pacaembú com um placar eletrônico, em noite de ópera Aida, a Tim consegue arrebatar o prêmio.

A proeza foi colocar helicópteros no ar, sobre a cidade, com canhões de luz focados nas janelas dos apartamentos. Como ainda não se conhece um helicóptero que não faça um barulho dos infernos, só podemos imaginar que as pessoas com bebês pequenos, doentes, idosos e outros que simplesmente querem ler um livro em paz não tenham achado muito legal esta ação, chamada agora de “guerrilha”. Sem dúvida, o nome é apropriado, já que se faz uma guerra contra o público.

O que espanta é a arrogância da empresa: será que ela acha mesmo que as pessoas vão achar que um helicóptero voando (algo bem comum em São Paulo) é uma maravilha tão grande que vai fazer alguém se interessar pela empresa? Ou que a paz no lar vale menos que essa ação?

Outro ponto a se considerar são as prioridades. Imagine você tendo sua empresa no sétimo lugar de reclamações do Procon, e ao invés de investir em um imenso task force para mudar a situação, fazer desse problema o alvo número um de seus esforços, gasta tempo e dinheiro com essa poluição sonora e visual. Que diabos de plano de marketing é esse, que estratégia de Harvard está sendo aplicada? Marketing de guerrilha tem que ser sutil e sedutor, como aquela ação onde a empresa colocava caixas de seus produtos na portaria de prédios de luxo em Nova Iorque, como se os correios as estivessem entregando.

O mais engraçado é que parece que a campanha se chama “Tim: mente sem fronteiras”. Eu ainda não acredito que possa ser verdade. Em meus 20 anos de marketing eu nunca vi um slogan tão ruim. Será que querem me convencer que a empresa mente sem limites? Isso me lembra de um seminário há alguns anos quando um vice-presidente da Tim jurou de pés juntos que nunca mandariam spam através de SMS. Eu recebo um quase todos os dias.

O presidente da Tim afirma que estas ações vão ajudar a recuperar o market share perdido nos últimos anos. Continuando com este tipo de marketing, se é que pode ser chamado marketing, podem esperar sentados.

Nota: como ajuda e precaução aos marketeiros, segundo os blogs eupodo e desenvolver.blogspot.com, os cúmplices neste crime são as agências Neogama/BBH e Momentum (nunca ouvi falar).

Blog . Promoção